1. Início
    2. Blog
  1. Blog

Agricultura

Agricultura Sustentável: Alterando O Conceito

17.12.2020
agricultura sustentável para o cultivo de trigo

A agricultura sustentável é uma forma de cultivo que respeita mais o meio ambiente, além de reduzir custos e elevar a produtividade. A busca por uma vida saudável pressupõe, entre outras condições, o consumo de produtos de boa qualidade. Essa constatação aliada a uma maior consciência ecológica, a crescente desconfiança nos sistemas de produção de alimentos e as muitas dúvidas que ainda cercam os produtos transgênicos, têm levado à expansão do consumo de alimentos produzidos sem o emprego de agrotóxicos com as técnicas de agricultura sustentável.

As preocupações em relação a alimentação vêm se modificando com o passar do tempo e alterações no sistema alimentar são recentes, mas apesar disso, vêm causando danos sociais, econômicos e ambientais de forma crescente. Os benefícios da agricultura sustentável no sistema alimentar referem-se ao conjunto de processos que incluem principalmente o desenvolvimento sustentável na agricultura, as modificações genéticas das plantas estão cada dia mais evoluídas, no sentido de produzir plantas modificadas, com alta resistência a fatores abióticos e bióticos.

Aplicação Do Conceito De Sustentabilidade À Agricultura

O que é a agricultura sustentável? O conceito de agricultura sustentável pode ser descrito como um sistema de práticas agrícolas ecológicas, baseado em inovações científicas através das quais é possível produzir alimentos saudáveis com respeito à terra, ar e água, assim como à saúde e direitos dos agricultores. Estes são os princípios da agricultura sustentável.

O objetivo da agricultura sustentável é satisfazer as necessidades da humanidade de alimentos saudáveis, para melhorar a qualidade do ambiente, mantendo a base dos recursos naturais, para utilizar os recursos não renováveis e agrícolas da forma mais eficaz, para implementar os ciclos biológicos naturais e para apoiar o desenvolvimento sustentável econômico rural e a qualidade de vida dos agricultores.

red combine harvester on the field

A ideia de sustentabilidade envolvendo os agricultores deve:

  • Antecipar mudanças, onde eles reconhecem, aceitam, planejam e criam mudanças.
  • Reconhecer e identificar limitações e recursos, criar estratégias para desenvolver seus recursos minimizando problemas e superando limitações no desenvolvimento sustentável na agricultura.
  • Não estar satisfeito com práticas ou produtos de negócios; a alta qualidade caracteriza cada componente de seu negócio de maneira sustentável.
  • Reconhecer que as fazendas sustentáveis são negócios em primeiro lugar, mas os lucros são usados para expandir o negócio e alcançar metas sociais e ambientais maiores.
  • Assumir riscos apropriados, se envolver em dívidas razoáveis e fazer investimentos com base em desafios e oportunidades de médio e longo prazo.

Os princípios e as características da agricultura sustentável são:

  • A diminuição de adubos químicos, através da técnica da fixação biológica de nitrogênio.
  • O uso de técnicas em que não ocorra a poluição do ar, do solo e da água.
  • A prática da agricultura orgânica, pois esta não utiliza pesticidas e adubos químicos.
  • A criação e o uso de sistemas de captação de águas das chuvas para ser utilizada na irrigação, sendo isto um uso sustentável da água na agricultura.
  • Não desmatar florestas e matas para a ampliação de áreas agrícolas.
  • O uso racional ou, quando possível, a eliminação dos pesticidas. Os pesticidas ilegais não devem ser usados em hipótese alguma, pois além de contaminarem o solo, podem prejudicar a saúde dos consumidores e funcionários que manipulam estes produtos.
  • Há casos de morte devido ao uso de pesticidas ilegais.
  • O uso da agroenergia, que são fontes de energia sustentável geradas no campo como, por exemplo, biocombustíveis (biodiesel, biogás, etanol e outros derivados de restos da produção e biomassa). A preferência deve ser sempre pelo uso de fontes de energia limpa e renovável, evitando ao máximo o uso de combustíveis fósseis (gasolina e diesel).
  • Adoção do Sistema de Plantio Direto, que preserva a capacidade produtiva do solo. Este sistema se baseia em: não arar o solo antes do plantio, cobrir o solo com folhagens secas e fazer a rotação de cultivo.
  • Adoção da Gestão Ambiental e Territorial na agricultura sustentável tem como conceitos e princípios estudos feitos para que cada prática agrícola seja executada em áreas e climas onde a cultura vai alcançar maior rendimento com menor desgaste do solo. É levado em conta também, neste sistema, a proximidade da área produtiva com o mercado consumidor, visando diminuir os custos com transporte e a poluição do ar gerada.
  • Respeito às leis trabalhistas dos trabalhadores do campo, investimento em capacitação profissional e pagamento de salários justos.
  • Nunca utilizar mão-de-obra infantil ou trabalho escravo. Cabe ao governo fiscalizar e punir aqueles que praticam este tipo de crime.
  • Valorização da agricultura familiar que gera trabalho e renda às famílias rurais, possibilitando suas permanências no campo.

EOS Crop Monitoring

Análise de campos baseada em imagens de satélite de alta resolução para seguir todas as alterações no momento!

De Princípios Comuns A Práticas Comuns

Os sistemas com elevado grau de sustentabilidade aspiram a utilizar da melhor forma os bens e serviços ambientais, sem prejudicar esses ativos, e devem ser adaptados localmente e ajustados ao lugar para obter os benefícios da agricultura sustentável. Evidências empíricas recentes mostram que iniciativas e projetos bem-sucedidos de sustentabilidade agrícola surgem de mudanças nos fatores de produção agrícola (por exemplo, desde o uso de fertilizantes até leguminosas fixadoras de nitrogênio; desde pesticidas até ênfase em inimigos naturais; desde lavoura até plantio direto). Um conceito melhor do que extensivo é aquele que se concentra na intensificação dos recursos, fazendo um melhor uso dos recursos existentes (por exemplo, terra, água, biodiversidade) e das tecnologias. Os principais passos para uma agricultura sustentável são os seguintes:

  • integrar processos biológicos e ecológicos tais como ciclo de nutrientes, fixação de nitrogênio, regeneração do solo, alelopatia, competição, predação e parasitismo nos processos de produção de alimentos
  • minimizar o uso de insumos não renováveis que causem danos ao meio ambiente ou à saúde de agricultores e consumidores
  • fazer uso produtivo dos conhecimentos e habilidades dos agricultores, melhorando assim a sua auto-suficiência e substituindo o capital humano por insumos externos caros
  • fazer uso produtivo sustentável das capacidades coletivas das pessoas para trabalhar em conjunto na resolução de problemas comuns de agricultura sustentável e recursos naturais, tais como pragas, bacias hidrográficas, irrigação, etc.

organic sustainable agriculture

Tipos De Agricultura Sustentável

Existem diferentes tipos de agricultura sustentável, baseados em aspectos teóricos e práticos um pouco distintos:

Agricultura Biológica/Orgânica

Surge como um movimento contrário à agricultura industrializada, que pretende reintegrar as atividades humanas na capacidade de carga dos ecossistemas e industrializada e é o tipo mais amplamente reconhecido de agricultura e desenvolvimento sustentável. A agricultura biológica não usa produtos de síntese química nas explorações, como os fertilizantes e pesticidas sintéticos, e dá especial importância à manutenção da fertilidade do solo. O movimento Agricultura Biológica desenvolveu e recuperou uma alternativa à agricultura convencional, conseguindo promover a agricultura biológica de ideia revolucionária e excêntrica a modo de produção apoiado oficialmente pelas políticas agrícolas da maioria dos países ditos desenvolvidos. Enquanto na União Europeia, o Regulamento 2092/91 modificado define o que é considerado ser agricultura biológica. Como a agricultura biológica não usa certos fatores de produção é considerada uma agricultura limitativa por muitos defensores da agricultura sustentável. É por isso que eles preferem apoiar e desenvolver outras técnicas de agricultura sustentável, como a agricultura biodinâmica e a permacultura.

Agricultura Biodinâmica

Tem origem num curso sobre agricultura desenvolvido pelo vidente austríaco Rudolf Steiner em 1924. As explorações agrícolas são encaradas como organismos, dependendo umas de outras. Por isso, é necessário aplicar uma gestão holística cujo objetivo é alcançar a integridade da exploração. Desta maneira, a reciclagem e reutilização dos recursos de exploração tornam-se especialmente relevantes, motivo pelo qual geralmente a produção vegetal e animal estão associadas de maneira sustentável. A agricultura biodinâmica ressalta o poder de preparações (à base de plantas, minerais e excrementos) e da coordenação de certas atividades de acordo com a disposição dos astros (principalmente sol e lua) para melhorar a saúde, a produtividade e o valor nutricional dos cultivos. Atualmente, existem empresas de certificação de agricultura biodinâmica, embora em menor número que aquelas de agricultura biológica, e este tipo de agricultura sustentável começa a ser aceita nos círculos académicos e científicos.

sustainable permaculture planting

Agricultura Natural

Surge nos anos 70 como resultado de 30 anos de experiências do microbiologista japonês Masanobu Fukuoka. A agricultura natural se baseia numa redução do controle e da manipulação do sistema agrícola para um mínimo necessário para ter colheitas e na ausência de agroquímicos. Fukuoka apoia todos os tipos de agricultura sustentável e práticas como a sementadeira direta. Este tipo de agricultura sustentável deu lugar a diversas práticas, estando também na origem da permacultura.

Permacultura

O termo permacultura foi criado pelo australiano Bill Mollison e significa “Agricultura permanente”. A permacultura faz referência a uma engenharia ecológica de sistemas agrícolas. Ela tem como objetivo criar um sistema agrícola sustentável que se “auto-perpetua”, que seja ecologicamente estável e não tenha muita intervenção humana. A Permacultura é essencialmente uma estratégia de planejamento da produção (e cada vez mais também de outras atividades humanas), aproveitando as condições e os recursos naturais locais da melhor maneira possível.

Indicadores E Avaliação Da Sustentabilidade

As funções da terra em qualquer sistema, inclusive a agricultura sustentável, são diversas e incluem: a produção, a manutenção da biodiversidade ambiental, a regulação do clima, a regulação do armazenamento e o fluxo de recursos hídricos superficiais e subterrâneos, o armazenamento de matérias-primas e minerais para uso humano, o controle de resíduos e poluição, a provisão de espaço físico habitável, o arquivo ou herança e a provisão de espaço conectivo.

As qualidades e limitações de qualquer unidade terrestre são baseadas nessas funções. A avaliação da qualidade de qualquer unidade terrestre deve, portanto, usar métodos que meçam a capacidade da unidade terrestre de sustentar a função objetivada.

3 indicators of sustainability assessment

Os principais objetivos subjacentes a cada um dos indicadores avaliando um desenvolvimento sustentável na agricultura dizem respeito:

  • por um lado, a preservação dos recursos naturais (água, ar, solo, biodiversidade, paisagem e recursos minerais);
  • por outro lado, os valores sociais característicos de um certo grau de socialização e implícitos na agricultura sustentável (ética, qualidade, práticas socialmente conscientes, etc)

Concentremo-nos em objetivos que formam as três escalas de sustentabilidade:

Escala De Sustentabilidade Agroecológica

Esta escala analisa a propensão do sistema técnico para combinar o uso eficiente e sustentável do meio ambiente com o menor custo ecológico possível. Esta primeira escala inclui os indicadores que ilustram a capacidade das fazendas de serem mais ou menos autônomas em relação ao uso de energia e materiais não renováveis e de gerarem mais ou menos poluição:

  • Práticas agrícolas
  • Organização do espaço
  • Diversidade

Isto se correlaciona com o objetivo da agricultura sustentável.

Escala Sócio-Territorial

Esta escala caracteriza a integração da propriedade agrícola no seu território e na sociedade, como um reflexo do conceito da agricultura sustentável. Procura avaliar a qualidade de vida do agricultor e o peso do mercado e dos serviços não mercantis prestados ao território e à sociedade. Neste sentido, permite-nos examinar questões que vão além da própria exploração agrícola, criando um elemento sustentável no ambiente do mercado:

  • Qualidade dos produtos e da terra
  • Emprego e serviços
  • Ética e desenvolvimento humano

two farmers estimate yields

Escala Econômica

A última escala, na qual os indicadores resultam das orientações técnicas e financeiras do sistema produtivo, analisa os resultados econômicos visando além do curto prazo e os altos e baixos da situação econômica:

  • Independência de Transferibilidade
  • Viabilidade econômica
  • Eficiência

Agricultura Sustentável No Brasil

Embora haja esforços neste modelo de agricultura sustentável, grande parte dos agricultores brasileiros ainda desrespeitam o meio ambiente e não são responsáveis do ponto de vista social e trabalhista.

Os principais problemas são os seguintes:

  • Atualmente, o Brasil é um dos países que mais utilizam pesticidas no mundo.
  • O desmatamento de florestas e matas é ainda comum para abrir espaço para a agricultura.
  • Muitos agricultores pagam salários baixos aos camponeses, além de não respeitarem os direitos trabalhistas. Infelizmente, ainda ocorrem casos de trabalho escravo e emprego de mão-de-obra infantil no campo.

Não obstante os problemas citados acima, já existem boas iniciativas no desenvolvimento sustentável na agricultura. Algumas empresas estão buscando adotar medidas de respeito ao meio ambiente e melhoria das condições de trabalho dos funcionários. É importante ressaltar o trabalho feito pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), no sentido de desenvolver técnicas agrícolas sustentáveis, divulgar informações e orientar os agricultores no caminho da sustentabilidade.

growing cotton sustainably

Práticas Aplicáveis

Cada prática sustentável apresenta suas próprias características e vantagens. Portanto, para atender a todos os requisitos, a seleção deve ser feita em base à situação e área específica. As básicas são:

  • Rotação de culturas e promoção da diversidade para um solo mais saudável e melhor controle biológico e manejo de pragas na agricultura sustentável.
  • Usar colheitas de cobertura para evitar a erosão do solo, reabastecer os nutrientes do solo e diminuir a necessidade de herbicidas.
  • Redução ou eliminação da lavoura para evitar a perda de solo.
  • Utilizar a Proteção integrada (IPM) para controlar as populações de pragas e minimizar a aplicação de pesticidas químicos.
  • Integração inteligente da produção vegetal e animal.
  • Práticas agroflorestais que consistem na mistura de árvores ou arbustos para proporcionar sombra e abrigo às safras.

Atualmente, há uma grande variedade de softwares diferentes que são concebidos para ajudar a executar uma grande variedade de análises de alta qualidade mais facilmente. Para manter o ritmo acelerado do progresso tecnológico, nossos desenvolvedores de software lançaram recentemente Crop Monitoring, uma agroplataforma para uma gestão eficaz e sustentável das explorações agrícolas.

Benefícios Da Agricultura Sustentável

O argumento mais usado contra a agricultura sustentável é que ela não pode “alimentar o mundo” devido ao manejo moderado do solo e dos cultivos. Mas vamos considerar os benefícios da agricultura sustentável.

Uma das vantagens da agricultura sustentável é a preservação e uso das tecnologias e matérias-primas menos nocivas, portanto, sua influência ambiental destrutiva é mínima. Além disso, as fazendas sustentáveis não usam pesticidas químicos, fertilizantes ou sementes geneticamente modificadas, antibióticos para animais e não geram quantidades tóxicas de resíduos não tratados. Todos estes fatores têm uma influência positiva na saúde pública e o processo agrícola torna-se mais seguro para os agricultores e os alimentos produzidos são mais saudáveis.

Também vemos a importância da agricultura sustentável ao promover e apoiar o bem-estar animal. Os agricultores criam os seus animais em condições próximas das condições naturais para diminuir o estresse, a dor, as enfermidades e o sofrimento do gado. O aspecto social da agricultura sustentável implica em reconsiderar a importância da agricultura familiar e das comunidades rurais. Combinada com outras estratégias, pode ajudar a aumentar o nível de ocupação, educação, saúde, bem como satisfazer necessidades culturais e espirituais.