Agricultura

Controle De Ervas Daninhas Como Soluções Integradas

30.01.2021

O manejo integrado de ervas daninhas é um método de controle e mitigação de infestações no campo, incluindo diferentes técnicas. A maneira mais antiga de abordar o problema é a remoção manual. No entanto, este tipo de controle é uma tarefa laboriosa e uma perda do tempo devido às áreas vastas e à pouca equipe.

Hoje em dia, a maioria dos agricultores contam com os herbicidas. Porém, a agricultura sustentável e orgânica precisam de uma reconsideração profunda à aproximação já que os resíduos químicos são prejudiciais para os humanos e a natureza e algumas ervas daninhas desenvolvem resistência às substâncias químicas. A este respeito, o controle de ervas daninhas que seja alternativo e integrado é a opção mais benéfica que tem em conta ao futuro.

Métodos De Controle De Ervas Daninhas

O controle de ervas daninhas nos campos agrícolas inclui vários eventos e táticas que se agrupam em 5 grupos principais. Os tipos de controle de ervas daninhas são os seguintes:

Controle Preventivo De Ervas Daninhas

Este método de controle de ervas daninhas tem como objetivo evitar a contaminação das plantas e áreas cultivadas. Isto implica:

  • Comprar sementes de alta qualidade sem ervas daninhas
  • Equipamento de lavar
  • Controle das peles e pernas do gado
  • Filtragem de águas de rega para transporte de sementes de ervas daninhas
  • Utilização de composto e estrume completamente podre para evitar a germinação de sementes.

colheitadeira de limpeza de sementes

Controle Cultural De Ervas Daninhas

Este controle garante que as condições de campo sejam menos favoráveis para cultivo para se desenvolverem. Este controle inclui:

  • Plantação de espécies altamente adaptativas e competitivas
  • Selecção de sementes grandes que são susceptíveis de produzir plantas fortes e vibrantes
  • Rotação de culturas;
  • Campos não cultivados
  • Uso de cultivos de cobertura
  • Redução do espaço entre filas
  • Semeadura superficial (assim, os cultivos podem crescer mais depressa do que outras ervas)
  • Plantação de espécies locais que se adaptam ao ambiente natural e competem com as ervas daninhas de uma maneira mais fácil.

Controle Mecânico De Ervas Daninhas

Este controle está baseado na destruição de plantas indesejadas com um equipamento agrícola ou manualmente. Este controle usa:

  • Lavrar
  • Arar
  • Aparar
  • Retirar manualmente (remoção manual)
  • Queimada
  • Abudar
  • Cobrir espaços entre filhas (por exemplo, com palha)
  • Máquinas de retirar ervas daninhas
  • Destruidor de sementes de ervas daninhas
  • Fenação antes das ervas daninhas irromperem com sementes

colheitadeira de limpeza de sementes

Controle Biológico De Ervas Daninhas

Este controle está baseado no uso de inimigos das plantas em seus habitats. Assim, ovelhas, pulgas, besouros, traça-dos-cereais destroem as tasneiras. O pasto é outro exemplo de controle de ervas daninhas.

O controle biológico também inclui a colocação de organismos patógenos como bactéria, fungo que atacam certas espécies. Eles são diversos e danificam partes diferentes (folhas, talos, sementes, raízes).

O controle biológico de ervas daninhas foi levado a cabo bem-sucedido no nordeste da Austrália nos no início do século 20, quando a traça dos cactos lutou o figo da Índia com outros casos depois.

colheitadeira de limpeza de sementes

A soltura oportuna dos agentes biológicos ajudam os fazendeiros para abordar o problema numa maneira simples e ecológica como acontece no ambiente natural.

Porém, impor este método de controle em áreas que não são habitats naturais para os plantas estrangeiras é altamente questionável, precisa de pesquisas e deve ser aplicado com cuidado. Se a população de inimigos naturais se desenvolverem mais rápido do que as espécies que destroem, a situação se tornará num desastre ecológico sendo mais nociva do que benéfica. Eles se tornam pragas eles mesmos. Além disso, os agentes biológicos ameaçam inclusive espécies não-alvo algumas vezes.

EOS Crop Monitoring

Use o monitoramento por satélite para a gestão remota de campos numa única plataforma!

Controle Químico De Ervas Daninhas

Este controle implica a aplicação de produtos químicos industriais para vencer a infestação. Embora este controle dê resultados rápidos, é venenoso e danifica organismos e recursos naturais. Outro aspecto é a resistência e ineficácia dos herbicidas como consequência. Além disso, as aplicações químicas implicam custos, especialmente se usados repetidamente. Assim, é essencial usar herbicidas com vários modelos de controle e diferentes misturas. É vital seguir as instruções da etiqueta.

Um componente significativo do controle químico é o correto uso programado não só dos herbicidas, mas também dos fertilizantes. Eles são benéficos se aplicados no período ótimo do desenvolvimento das plantas.

pulverização de produtos químicos no campo

Identificação Das Ervas Daninhas Como Parte Do Plano De Controle

As imagens de satélite ajudam a detectar a intrusão de ervas em vários estádios da produção nos campos. Isto é possível com os índices de vegetação que permitem aos agricultores perceber o problema cedo e reagir convenientemente. Quando os gráficos de satélite mostram a presença das ervas daninhas, o próximo passo é o reconhecimento e a elaboração de soluções equilibradas para a identificação e controle de plantas daninhas.

Porém, não só os campos requerem inspeções. As ervas daninhas indesejadas são introduzidas pelo vento e água da linha da cerca, fossos de irrigação e terreno não cultivável, desta maneira, estas zonas também têm que ser revisadas e tratadas.

Antes Do Período De Semeadura

Antes da semeadura, um tem que identificar as ervas daninhas depois de lavrar, dependendo de se o solo estiver descoberto ou coberto (os solos lavrados recentemente não tem vegetação). Quando ainda não tem cultivos plantados, mas se detecta vegetação, significa que essas plantas são ervas daninhas. A conclusão permite aos agricultores tomar a decisão correta no controle de ervas daninhas.

Época Temprana

Para detectar ervas daninhas nos estádios iniciais do crescimento das plantas é mais difícil já que são pequenas e a reflectância do solo predomina. Contudo, não é impossível. Quando o índice de vegetação assinala discrepâncias no desenvolvimento (insuficientes ou excessivo), a causa desta anomalia pode ser uma infestação de ervas daninhas. Habitualmente, as ervas daninhas são mais fortes do que os cultivos e se desenvolvem mais rápido, pegando os nutrientes do solo e escondendo os cultivos da luz solar. Crop Monitoring pode ajudar a monitorar este fenômeno nos gráficos MSAVI que são importantes para soluções de controle de ervas daninhas.

gráfico de índice MSAVI no aplicativo Crop Monitoring

Época Tardía

Quando os cultivos amadurecem, a identificação das ervas daninhas se torna mais simples. O sensoriamento remoto pode distinguir cultivos secos que têm perdido a clorofila (e, deste modo a cor verde) por causa de ervas daninhas que ainda são verdes.

Exploração De Ervas Daninhas

Quando os índices de vegetação informam a respeito de áreas críticas sugerindo a presença de ervas daninhas, a exploração deveria aumentar o monitoramento para confirmar a infestação ou encontrar outro problema atual de anormalidade do crescimento das plantas.

A exploração do campo pode ser levada a cabo dirigindo ao campo, com drones, ou com um aplicativo específico de exploração no software agrícola.

procurando ervas daninhas

Gestão Do Controle Químico De Ervas Daninhas Com Eficácia

Os herbicidas não são 100% seguros para os humanos, cultivos e solos. Deste modo, sua aplicação deve ser prudente e escassa.

Os fatores principais aumentando o reduzindo a eficácia dos herbicidas incluem:

  • Estádios de crescimento
  • Peculiaridades meteorológicas na área
  • Resistência das ervas daninhas
  • Aplicação de volumes e densidades
  • Retenção nas folhas
  • Decomposição pela luz
  • Conteúdo e composição do solo
  • Métodos de aplicaçao
  • Precipitações
  • Umidade relativa do ar
  • Temperatura do ar

Os tipos de herbicidas e as condições de seu uso são críticas no controle agrícola. Desta maneira, os produtos químicos perdem eficácia quando são mal absorvidos ou removidos dos cultivos e áreas alvos. Alguns herbicidas são ativados só no clima seco quando permanecem no solo ou nas plantas por um determinado período de tempo. Outros tipos de herbicidas só ganham eficácia depois das precipitações ou da irrigação. Além disso, os herbicidas podem queimar os cultivos e destruir as produções se usados em água quente. O momento errado causa aplicações repetidas como consequência.

Os aplicativos com precipitações serão úteis neste caso, já que a previsão meteorológica é essencial para evitar a eliminação dos produtos químicos devido às precipitações ou sua aplicação nos territórios errados devido ao vento. Embora os herbicidas pareçam a solução de controle mais rápida (e a mais utilizada), o uso repetido o errado reduz sua eficácia.

O aplicativo de Crop Monitoring oferece amplos dados de precipitação, facilitando as atividades de controle. Ele ajuda a monitorar a temperatura do ar, umidade relativa, velocidade do vento e direção. O aplicativo também alerta sobre precipitações vindouras, equipando os agricultores com um conhecimento valioso sobre como agendar um evento de controle de ervas daninhas.

previsão do tempo no monitoramento de safra

Outra característica importante do Crop Monitoring é o zoneamento de campo. Diferentes zonas com diferentes densidades de índices de vegetação requerem uma gestão diferente. Correspondentemente, o volume de herbicida deve variar dependendo da concentração das ervas daninhas. Ao controlarem a situação, os agricultores podem evitar o desperdício de produtos químicos e eliminar o dano aos cultivos e recursos naturais.

zoneamento de campo no aplicativo Crop Monitoring

Manejo Integrado Das Ervas Daninhas

A vantagem do manejo integrado de ervas daninhas é que combina diferentes métodos de controle de estas ervas usados na agricultura, fazendo o melhor da situação. Esta forma de controle ajuda a encontrar as opções mais eficazes e respeitadoras do meio ambiente e a evitar o uso injustificado de produtos químicos. Para além do dano que os herbicidas causam na natureza, cultivos e humanos, as ervas daninhas tendem a desenvolver resistência a eles. Assim, inclusive o uso repetido de substâncias venenosas se torna um desperdício e um perigo.

Isto é essencial para a agricultura sustentável e é possível com o uso das seguintes técnicas de controle utilizadas por vez:

  • Tomar medidas preventivas
  • Rotação de culturas (diferentes espécies, especialmente com uma variedade de épocas de crescimento)
  • Terreno não cultivável
  • Identificação e controle de ervas daninhas
  • Checar a previsão meteorológica
  • Cultura de cobertura
  • Aplicação ótima e sensata dos produtos químicos
  • Distribuição correta de nutrientes.

manejo integrado de ervas daninhas

A integração destas técnicas de controle reduzem custos e estimulam a produção. Quando usadas em conjunto, as diferentes tácticas aumentam os benefícios de cada um e diminuem os impactos negativos. Por exemplo, a rotação de culturas ajuda a remover certas ervas daninhas do terreno se elas não co-existem com uma nova espécie de cultura. A presença de inimigos naturais impede o crescimento das ervas daninhas. A pastagem de gado destroem as plantas indesejáveis nos períodos de pré-semeadura ou pós-colheita. A limpeza do equipamento atrapalha a disseminação das sementes. As culturas de cobertura e as sementes de qualidade livres de ervas daninhas diminui a necessidade de aplicar herbicidas. Estes casos mostram como os controles culturais, biológicos, preventivos e químicos trabalham em conjunto.

As combinações de várias tácticas de controle e a elaboração de planos de manejo de ervas daninhas demonstram ser a aproximação mais vantajosa. Elas devem ser econômicas, eficientes (com a menor adaptação) e considerar o impacto nos humanos e na natureza.

Um bom plano de controle de ervas daninhas para propósitos agrícolas não estraga a qualidade do solo e dos cultivos. Ele inclui não só a erva específica que atacar mas também o momento e os métodos para controlar a infestação.

Assim, o manejo integrado de ervas daninhas é a opção mais benéfica no longo prazo. Ela ajuda a alcançar os objetivos econômicos e ecológicos com o menor esforço e danos, oferecendo uma solução inclusive no caso no qual algumas técnicas não são adequadas.