1. Início
    2. Blog
  1. Blog

Silvicultura

Reflorestamento: Um Novo Ar Para As Pessoas E A Terra

26.05.2021
reflorestamento na madeira de coníferas

Ultimamente, o desmatamento está tendo níveis alarmantes. Ano após ano, muitas florestas ao redor do mundo estão desaparecendo, o que provoca a necessidade de reagir e tomar medidas para frear este problema e inclusive para revertê-lo. Eis, falamos de reflorestamento. Ele ocorre quando as florestas são desmatadas e não podem se recuperar de maneira natural. Os benefícios do reflorestamento são numerosos tanto para a natureza como para os seres humanos. Por isso, o Brasil é um dos exemplos com projetos de reflorestamento que apresenta diferentes técnicas. Neste contexto, a EOSDA oferece ferramentas para fazer uma boa gestão do reflorestamento.

O Que É O Reflorestamento E As Suas Causas

O reflorestamento baseia-se em substituir as árvores cortadas por uma nova geração para vários fins:

  • restauração após o corte de madeira comercializável;
  • compensação após a expansão na terra devido a atividades humanas;
  • renovação após o envelhecimento da floresta;
  • regeneração após catástrofes naturais;
  • manutenção do equilíbrio do ecossistema e da biodiversidade;
  • criação de habitats para as eco-comunidades, etc.
corte raso industrial

As melhores técnicas de reflorestação requerem a plantação imediata assim que uma floresta é cortada ou destruída. Assim, as empresas de corte de árvores devem restabelecer o equilíbrio, plantando novas árvores após o corte, de acordo com os regulamentos governamentais em muitos países.

A declaração da ONU de Nova Iorque de 2014 obrigou os países a reduzir o desmatamento duas vezes antes de 2020 e a pará-lo antes de 2030. No entanto, sua taxa anual quase duplicou em seu lugar.

Por Que É Importante O Reflorestamento?

A importância do reflorestamento explica-se pelo papel que as árvores desempenham no nosso planeta. As novas florestas ajudam a prevenir a erosão do solo ou a desertificação; são importantes para proteger edifícios e campos dos ventos. As árvores ao longo das margens dos rios ou linhas costeiras fortificam e estabilizam a zona. As florestas são habitats naturais para espécies únicas, que em alguns casos não podem ser encontradas em qualquer outro lugar. É por isso que é importante o reflorestamento de áreas degradadas ou destruídas e plantar novas áreas para renovar a cobertura de árvores.

O reflorestamento também se aplica à restauração das florestas destruídas após catástrofes naturais como incêndios, inundações, terramotos, etc. Esta técnica é também utilizada para recuperar florestas devido a intervenções artificiais como mineração, implantação de sítios arqueológicos, ou construção. Assim, o reflorestamento é um método eficaz para combater a desflorestação e melhorar a situação ecológica.

Métodos De Reflorestamento

O plantio de mudas para reflorestamento tem lugar de duas maneiras, natural ou artificialmente. O processo natural baseia-se no enraizamento de sementes e brotos de árvores próximas sem assistência humana. No entanto, o reflorestamento natural é insuficiente e deve ser apoiado por outras técnicas quando a substituição de árvores envolve a participação de pessoas.

mulher está plantando árvores na floresta

Existem dois tipos de técnicas de reflorestamento, dependendo da idade das árvores coexistentes:

  • povoamentos de idade uniforme: o excesso de vegetação madura é removido para deixar crescer a nova;
  • povoamentos de idade desigual: árvores maiores e jovens crescem juntas.

Ambas são aplicadas em todos os EUA. A decisão depende do fato de a espécie poder ou não crescer em abrigo e das peculiaridades climáticas da região. É assim que o desmatamento dá origem a novos povoamentos de árvores quando as restantes árvores maduras promovem novas gerações. Elas fornecem sementes, habitat de vida selvagem, abrigo da luz solar excessiva ou do vento, etc.

Métodos De Idade Desigual

O sistema de idade desigual sugere o corte de um grupo de árvores ou árvores separadas, proporcionando espaço para as novas.

O tamanho da área em cortes de grupo difere pela largura e pode atingir duas alturas de árvores maduras. A largura depende da quantidade de luz de que a espécie necessita. Abetos, bordos, a cicuta e o cedro vermelho podem tolerar a sombra e servirão com uma abertura mais pequena. Carvalhos, o pinheiro taeda e o abeto Douglas precisam de mais luz e, correspondentemente, de mais espaço. A seleção do grupo abrange toda a área florestal.

cortes de grupo da floresta

A técnica de reflorestamento de uma única árvore escolhe árvores separadas de todos os tamanhos e corta-as uniformemente. Uma vez que a abertura é demasiado estreita, o método é adequado apenas para espécies tolerantes à sombra (por exemplo, cicuta ou bordo de açúcar). Também se aplica a áreas geladas ou secas.

Métodos De Idade Uniforme

O sistema de idade uniforme é utilizado para fornecer luz solar suficiente para as mudas para reflorestamento. Inclui as opções de desmatamento, árvores de sementes e corte de regeneração sob coberta (shelterwood).

O desmatamento é a remoção completa do excesso de maturação para permitir o crescimento de novas árvores de reflorestamento. No entanto, algumas árvores podem ser preservadas como abrigo para a vida selvagem ou tampões ribeirinhos. Este é um método popular de reflorestamento para regenerar álamos, choupos amarelos, vidoeiros brancos, abeto Douglas, carvalho vermelho e branco, pinheiro-bravo, etc.

árvores jovens e maduras estão crescendo juntas

O reflorestamento é realizado através de sementeira natural ou direta, brotação ou plantação. Em alguns casos, pode ser melhorada com um material de plantação mais forte (geneticamente melhorado).

As árvores de sementes implicam deixar várias árvores maduras para as sementes (6-15 por acre). Normalmente, são cortadas após a raiz das plântulas ou deixadas para a estética da vida selvagem ou da paisagem.

A técnica de reflorestamento com sementes pode ser combinada com a plantação se a sementeira natural não for suficiente. As espécies de árvores para reflorestamento com este método inclui algumas espécies de pinheiros e carvalhos.

O corte de regeneração sob coberta (shelterwood) sugere o cultivo de mudas com árvores maduras que fornecem abrigo. O método inclui três fases típicas:

  • corte preparatório para uma melhor produção de sementes;
  • corte de estabelecimento que fornece sementes;
  • remoção de árvores maduras cortadas para erradicar a competição com as plântulas.

O método é utilizado com o bordo de açúcar e alguns tipos de carvalho e pinheiro.

Reflorestamento No Brasil

O reflorestamento no Brasil tem dois tipos principais: reflorestamento para fins comerciais e reflorestamento ambiental. Ambos são igualmente importantes para manter a diminuição da perda anual de área florestal no Brasil.

A tendência da perda florestal brasileira por décadas é ilustrada no gráfico abaixo. Mostra claramente que os esforços do Brasil na última década para preservar a floresta valeram a pena. Mesmo assim, o Brasil lidera a lista dos países que perderam a maior parte da área florestal durante 2010–2020, com 1.496.000 hectares de perda líquida média anual.

Quantia anual de perda líquida de floresta no Brasil

Reflorestamento Para Fins Comerciais

A prática de reflorestamento tem seu início em 1934 com o primeiro Código Florestal devido às grandes áreas desmatadas para obtenção de madeira. Porém, o Código Florestal seguinte, de 1965, foi o que trouxe realmente uma mudança no manejo das florestas. Na época de 1965 a 1988, o poder público começou a estimular o reflorestamento comercial através de incentivos fiscais. Apesar das fraudes e plantações mal sucedidas, houve grande expansão das áreas de reflorestamento no Brasil, principalmente monoculturas de pinus e eucalipto.

Atualmente, esse cenário continua. A maior parte do reflorestamento ocorre por florestas plantadas, predominando o eucalipto (70,8%) e o pinus (22%). Outras espécies (7,2%) como acácia, seringueira, paricá, teca e pópulus, por exemplo, também são usadas, mas em quantidades muito inferiores.

As empresas de papel e celulose e siderúrgicas são consideradas os principais “reflorestadores”, pois utilizam essas árvores para produção de produtos. Depois de uns sete anos as árvores de eucalipto já estão prontas para serem cortadas. As árvores são usadas principalmente para produção de papel, celulose, painéis industrializados e carvão vegetal. As condições climáticas e do solo do Brasil beneficiam o crescimento dessas espécies, transformando o país em um dos maiores produtores de mercadorias reflorestadoras do mundo.

Algumas áreas reflorestadas são comercializadas no mercado de carbono já que têm como objetivo a captação dos gases de efeito estufa. Entre os compradores geralmente se encontram empresas ou governos de países desenvolvidos que precisam alcançar valores de redução de emissão dos gases (tal como o estipulado no Protocolo de Quioto).

Reflorestamento Ambiental

A finalidade do reflorestamento de vegetação nativa é a restauração ecológica, ou seja, é uma intervenção por meio do plantio de espécies nativas para recompor um ecossistema. O reflorestamento é essencial para proteger e recuperar as características ecossistêmicas da região, mas, sempre lembrando que ainda não é possível refazer um ecossistema idêntico ao original.

Geralmente, as espécies escolhidas para o plantio estão baseadas na vegetação natural do lugar – os projetos de reflorestamento no Brasil mais habituais são reflorestamento do bioma da Mata Atlântica e do Cerrado. As árvores frutíferas e com floração atraente são também escolhidas com o fim de atrair animais e insetos que realizam a dispersão de sementes. Um fator muito importante para o sucesso do projeto de reflorestamento é a diversidade de espécies por hectare.

EOS Forest Monitoring

Tecnologias de satélite ao serviço de um monitoramento e gestão remota eficiente dos povoamentos florestais.

Benefícios Do Reflorestamento

O conceito de reflorestamento traz uma série de vantagens, sendo as mais importantes as seguintes.

Reflorestamento E Mitigação Do Aquecimento Global

A libertação excessiva de carbono é um dos principais motores do efeito estufa e é aqui que podemos utilizar o reflorestamento para combater o aquecimento global. Como é que o reflorestamento afeta o ciclo do carbono? No processo de fotossíntese, as árvores absorvem carbono e o convertem em nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Quanto mais jovem for a floresta, mais carbono ela pode armazenar. Basicamente, a madeira seca é cerca de 50% carbono, o que significa que a capacidade das árvores para acumular carbono é impressionante. Além disso, muito carbono é fixado nos solos das florestas. Assim, o reflorestamento é uma prática importante para eliminar o aquecimento global.

Melhorar A Qualidade Do Ar

A fotossíntese explica outro benefício do reflorestamento, uma vez que as plantas não só absorvem carbono como libertam oxigênio, mantendo o equilíbrio. Por esta razão, as florestas são conhecidas como os pulmões do nosso planeta. De forma correspondente, quanto mais florestas temos, mais puro é o ar que respiramos. Além disso, o reflorestamento é eficiente para evitar tempestades de areia, aumentando a pureza do ar.

córrego da floresta com água limpa

Melhorar A Biodiversidade

As florestas fascinam pela sua variedade de ecossistemas, e uma das comunidades mais ricas encontra-se nas florestas tropicais. Em particular, as florestas tropicais amazônicas contam com milhares de espécies de árvores e 50.000 outras plantas, além de fauna abundante.

O World Resources Institute classificou a perda de floresta tropical de 2019 como a terceira maior do século XXI. A este respeito, o reflorestamento das florestas tropicais é hoje em dia uma tarefa significativa. Combate a extinção de espécies raras, tanto no reino das plantas como no reino dos animais.

Restauração Dos Habitats Da Vida Selvagem

Os cortes florestais privam a vida selvagem do seu habitat natural, no entanto algumas espécies só podem existir em áreas isoladas. Assim, o reflorestamento é essencial para preservar as suas populações.

Manter O Ciclo E A Qualidade Da Água

As árvores armazenam a água da chuva através da sua absorção com folhas e raízes. Ao mesmo tempo, também liberam umidade na atmosfera através da transpiração e aumentam a umidade. Desta forma, as florestas estabilizam a temperatura do ar na localidade próxima. Também ajudam a manter um nível de água suficiente nos corpos d’água locais. Uma vez que as árvores retêm umidade e reduzem os escorrimentos, o reflorestamento também melhora a infiltração da água e a qualidade da água.

Enriquecimento Da Fertilidade Do Solo

O reflorestamento contribui para a saúde do solo por várias razões:

  • É um habitat para microrganismos do solo que participam na decomposição, aumentando a fertilidade.
  • As folhas e ramos caídos formam a matéria orgânica.
  • Sistemas radiculares fortes mantêm a terra no lugar e impedem a erosão e os deslizamentos de terra.
  • Reduzindo os escoamentos de água, as árvores conservam os nutrientes no solo.
folhas e galhos caídos formando a matéria orgânica do solo da floresta

Prevenção De Inundações

As árvores não só absorvem umidade mas também fazem uma barreira aos fluxos de água durante os alimentos ou chuvas torrenciais. Assim, diminuem a velocidade das correntes e melhoram a absorção da água. Ao impedir as inundações, o reflorestamento atenua os danos e perdas.

Inverter A Desertificação

Os solos nus são propensos à erosão do vento e da água que levam à desertificação. O reflorestamento aborda a questão de duas maneiras: com as raízes de árvores e a cobertura vegetativa do solo da floresta.

Gestão De Reflorestamento

Os efeitos do reflorestamento são mais óbvios com uma gestão adequada. Portanto, é importante desenvolver um plano de reflorestamento sustentável, dependendo do objetivo do reflorestamento (restauração após desmatamento ilegal, colheita, incêndios florestais, etc.).

Com objetivos diferentes, as melhores árvores para reflorestamento serão também diferentes. Uma espécie é a mais absorvente de carbono, enquanto outras são as que mais rapidamente crescem e algumas se adaptam melhor ao ecossistema estabelecido. Por outras palavras, não há uma resposta universal a esta pergunta.

Outro ponto de discussão é se o reflorestamento pode ou não restaurar o ecossistema da floresta anterior. Aqui depende da espécie. Um único tipo de árvore irá dar uma floresta de monocultura, enquanto que múltiplas espécies vão aumentar a biodiversidade. As florestas de monocultura são mais susceptíveis a doenças das árvores e outras condições desfavoráveis, enquanto que as florestas de policultura têm mais hipóteses de sobreviver. Além disso, os cortes de árvores ou queimadas autorizadas provam ser um meio eficiente para acelerar a restauração natural e a diversificação dos ecossistemas.

A gestão e monitoramento do reflorestamento são mais fáceis com a sensoriamento remoto, especialmente em locais de difícil acesso. Com as imagens de satélite da EOS Data Analytics, os silvicultores podem monitorar o progresso na área de reflorestamento, avisar a tempo se as coisas derem errado e reagir em conformidade. A detecção remota de baixa e média resolução pode detectar as mudanças após 1-2 anos de plantação de árvores, enquanto a detecção remota de alta resolução pode fornecer informação muito mais logo.

EOSDA oferece monitoramento por satélite de florestas jovens para identificar áreas com uma copa pouco saudável para que os silvicultores possam tomar medidas oportunas para salvar as árvores. Além disso, a detecção de alterações também ajuda a enquadrar a perda florestal nestas áreas. Por exemplo, os valores baixos de NDVI alertam para um problema na área. Não pode classificar a causa exata, no entanto, chama a explorar a área para uma análise mais aprofundada. Uma diminuição dos valores de NDVI pode ser o resultado de cortes florestais, desmatamento ilegal, incêndios florestais, danos causados por furacões, uso excessivo de produtos químicos ou infestação de pragas. Os valores baixos do índice também podem ser um sinal de secas ou de secura excessiva.

Para analisar a cobertura florestal, pode utilizar nosso produto pronto para uso LandViewer e o conjunto de combinações de bandas disponíveis no mesmo ou solicitar uma solução personalizada. Com o LandViewer, pode-se detectar a área desflorestada para restaurar a floresta cortada.

máscara de desmatamento EOSDA

Um dos indicadores de como uma floresta está a restaurar é também a cobertura do solo em redor das árvores. A EOSDA pode ajudar a diferenciar a copa do solo da floresta e a avaliar a qualidade de cada um delas.

Forest Monitoring é uma nova plataforma de gerenciamento florestal. Controle sempre como se desenvolvem as árvores jovens. Com a EOSDA, é possível monitorar a forma como a floresta cresce e gerir os riscos no reflorestamento. Para mais soluções personalizadas para a gestão florestal, contate o nosso departamento de vendas em sales@eos.com.